sexta-feira, 27 de junho de 2014

Vinhos não filtrados


O enólogo é responsável por dar vida ao vinho e torná-lo extremamente agradável ao paladar, de preferência, sem perder a essência. Ele deve atuar como um verdadeiro artista e, para isso, tem muitas decisões a tomar em todo o processo de elaboração da bebida.

Nesse contexto, filtrar ou não filtrar é uma das escolhas que mudará as características organolépticas do produto final. Mas para que um enólogo não precise filtrar o vinho, desde o campo, o trabalho precisa de cuidados extremos.

O manejo do vinhedo deve ser cauteloso, para produção de uvas com ótima sanidade e todo o processo de vinificação deve ser acompanhado, para garantir que o vinho tenha condições físico-químicas que dispense a filtração.

Quando um enólogo decide por não filtrar o vinho, o grande objetivo é extrair o máximo do caráter único da uva e expressar na taça a autenticidade do terroir de origem.

Para poder usufruir do benefício de não filtrar, frequentemente os enólogos realizam uma clarificação para a remoção de grandes partículas em suspensão. Os vinhos não filtrados podem, por vezes, não serem inteiramente claros e conter alguns resíduos.

Esse processo de não filtrar o vinho é uma possibilidade para poucos e é utilizado tanto em rótulos de longa guarda quanto para os de consumo breve. Estes últimos também vão bem com as modernas screw caps, vedante alternativo às rolhas de cortiça que vem ganhando cada vez mais espaço no mercado.


Fonte: http://www.sommelierwine.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário