quarta-feira, 25 de junho de 2014

Roteiros do Vinho: Piemonte


O Piemonte é uma região mundialmente conhecida pela produção de vinhos, localizada a noroeste da Itália e que faz fronteira ao sul com a Ligúria; ao norte com o Vale de Aosta e a Suíça; ao oeste com a França e ao leste com a Lombardia.

Seu nome de origem, Pedemontes, significa “terra que fica aos pés das montanhas” e de fato, os Alpes e os Appeninos Ligures o cercam, deixando livre só a parte oriental, início da fértil planície Padana, cortada pelo rio Pó e seus afluentes.

Nesta região, encontramos Barolo, uma cidade tão pequena, que se parece mais como uma vila, mas se comparada à Barbaresco, ainda podemos considerá-la como grande. Vista no alto de uma colina, ela se resume, praticamente, a uma rua. Estas duas vilas, se assim podemos chamar, batizam seus vinhos com o próprio nome, e que por sua qualidade e características únicas, encantam apreciadores da enologia de todo o mundo. Considerados ícones do Piemonte, e da enologia italiana.

O Barolo é um vinho único, possui grande estrutura aromática, longa persistência, acidez pronunciada, tânico, bom corpo e grande poder de envelhecimento. É considerado por muitos conhecedores o rei dos vinhos.

O Barbaresco, por sua vez, é considerado o príncipe dos vinhos do Piemonte, pois desenvolveu-se e disputa hoje, ao lado do Barolo, o posto de grande exemplar. É mais delicado e elegante, mas com bastante intensidade de aromas, tem acidez destacada e muito sabor.


Outros vinhos que ganham destaque no Piemonte

O Barbera ganhou destaque no mundo do vinho depois de seus produtores terem modificado o sistema de plantio. Diminuíram o rendimento das vinhas e utilizaram barricas de carvalho para conseguir controlar a acidez e ganhar um sabor frutado intenso, taninos leves e agradáveis.

O Dolcetto é um vinho para se beber jovem, com aromas frutados, estrutura média, pouco tânico e com acidez equilibrada, que ainda deve melhorar com as inovações. Em relação aos brancos, devemos prestar atenção especial no Arneis de Roero, no Moscatto D’Asti e no Chardonnay do Langhe.


A culinária do Piemonte

Até a década de 1970 o Piemonte era uma terra sem tradição alguma no que se refere ao turismo. Essa situação mudou consideravelmente graças à gastronomia e à vitivinicultura que colocaram essa terra enevoada na rota dos gourmet de todo o mundo. A culinária piemontesa se destaca pela criatividade e pela utilização de produtos sempre frescos e da época, e o seu diferencial está no modo de vida e no trabalho rural.

Os arredores de Alba, Barolo e Barbaresco protagonizam um roteiro de viagem que tem como elemento principal o prazer à mesa, somado por uma paisagem que mistura encostas cobertas de vinhedos com pequenas cidades medievais.

Devido ao clima e ao relevo, a restrição de opções de produtos foi o grande incentivador dessa culinária de grande prestígio. Nesse leque restrito de produtos, destacam-se: a trufa branca, o arroz arbóreo, a carne vermelha e as caças.

O Piemonte é base do movimento slow food (movimento eco-gastronômico que celebra o alimento de qualidade, a biodiversidade e o prazer de comer). Além disso, possui restaurantes consagrados com estrelas Michelin.


Lugares para visitar no Piemonte

Em Barolo, o Museu do Vinho funciona em uma fortaleza medieval, um castelo antigo que, por si só, já é um belo atrativo. Em Barbaresco, a Enoteca Regionale está instalada em uma igreja antiga, onde mantém uma seleção ampla de rótulos regionais.


Fonte: http://www.sommelierwine.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário