terça-feira, 8 de abril de 2014

Tokaji Aszú – “O vinho dos reis e rei dos vinhos”


Longa é a estrada em que homens e vinhos caminham lado a lado, o bastante para ter dado origem a histórias fascinantes e tornar lendário os nomes de alguns vinhos. É o caso do Tokaji Aszú húngaro, que se estabeleceu em meados do século 17 como provavelmente o primeiro grande vinho doce do mundo, ao surpreender o clero e a nobreza europeia com seu sabor envolvente e único.

Seu estilo inigualável encantou o Papa Pio IV, que o recebeu de presente de um arcebispo húngaro durante o Concílio de Trento (1562), fato que pode ter sido impulso inicial para a ascensão deste vinho. Altamente apreciado pelos czares – especialmente da dinastia Romanov – pela corte polonesa e a casa real Austro-Húngara, era também presença certa nos banquetes das demais cortes europeias.

Fã deste vinho, o rei Luís XIV, da França, o declarou “vinho dos reis e rei dos vinhos”, frase emblemática que o acompanha desde então. Sua fama ultrapassou os limites da nobreza, e assim foi também fonte de inspiração para escritores como Voltaire, Rabelais e Goethe.


Como é produzido o vinho Tokaji Aszú

Mas esse pedigree todo tem sua razão de ser. O Tokaji é de fato um vinho diferenciado, e muito se explica pelo seu processo de produção. As uvas que o compõem – furmint, hárslevelü e muscat lunel – são colhidas tardias grão a grão, após atacadas pelo fungo Botrytis cinerea, que provoca a desidratação dos grãos e concentra açúcar e acidez.

Elas são transportadas para a vinícola em uma espécie de cesto de madeira, com capacidade de 25kg, chamado “puttonyo”, e lá chegando são adicionadas à proporção de três a seis puttonyos para cada 136 litros (capacidade da barrica local, o gönc) de um vinho base em fermentação, produzido com estas mesmas variedades de uvas.

Essa massa de uvas altamente concentrada em açucares armazenada no puttonyo é que dá o grau de doçura do vinho, quanto maior o número, mais doce e mais nobre o vinho. A rica doçura destes vinhos é equilibrada pela sua grande acidez, compondo um dos vinhos de mais longa maturação e longevidade do mundo.


Fonte: http://www.sommelierwine.com.br/ (Por Sommelier Wine Lucas Cordeiro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário