quinta-feira, 6 de março de 2014

A Casta Moreto

Desconhece-se a sua origem exata, mas sabe-se que existe no Douro e em Lamego desde finais do século XVIII. No entanto, a região de maior expansão é o Alentejo, principalmente nas zonas de Reguengos, Redondo e Granja-Amareleja. Curiosamente, no final do século XIX, esta videira terá erradamente sido considerada«gémea» da Português Azul (a casta alemã Blauer Portugieser). Mas esse erro viria a ser reconhecido mais tarde, já que Português azul é oriunda do Leste Europeu. 

A Moreto é de fácil reconhecimento devido às suas folhas peludas e fortemente onduladas, aos seus cachos de tamanho pequeno, cónico-alado, compacto e pedúnculo curto. Os bagos são médios e arredondados, de cor negro-azul, película espessa e polpa mole.  

Embora seja uma casta muito robusta e pouco atreita a parasitas, a Moreto proporciona grandes colheitas. No entanto, pelo facto de ter uma maturação tardia, corre o perigo de  apodrecer caso apanhe as primeiras chuvas de Setembro. Assim, esta videira obtém melhores resultados no sudeste de Portugal, onde o clima se caracteriza pelo calor acentuado (o que acelera o processo de maturação), sendo em anos quentes que se conseguem os vinhos de melhor qualidade. 

A casta é normalmente utilizada em vinhos de lote já que, por si só, proporciona vinhos pouco encorpados, com um aroma de frutos vermelhos pouco intenso e complexo. Também é comum a sua utilização em vinhos de ano, que são rapidamente colocados no mercado e que devem ser consumidos ainda jovens, já que mesmo com uma maturação tardia, o teor alcoólico é bastante baixo. O loteamento é feito geralmente com Trincadeira, Aragonez e Tinta Caiada.


Fonte: http://www.mariajoaodealmeida.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário