sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Os diferentes tipos de degustação


Não existe outro caminho para realmente conhecer os vinhos que não seja a degustação, um exercício didático e muito prazeroso. Apreciar o vinho é uma atividade que você pode desenvolver de forma superficial, e não há nada de errado nisso.

Mas vale à pena aprofundar-se, pois o vinho é uma bebida rica em nuances de aromas e sabores mais que qualquer outra, e descobri-los é uma aventura que virá recheada de muitas surpresas sensoriais e prazer.


Como fazer uma degustação

Comece por escolher taças corretas e um ambiente livre de odores, com boa iluminação e temperatura agradável. Um fundo branco – que pode ser a própria mesa, a toalha sobre ela, ou um guardanapo – para observar a cor do vinho e, sempre que possível, faça a prova às cegas para evitar influência da boa ou má reputação do vinho.

O cuidado com a escolha do tipo de degustação pode evitar que algumas comparações injustas sejam feitas. Um erro comum é comparar vinhos de estilos marcadamente diferentes. Por exemplo, um vinho da região francesa de Bordeaux e outro da Bourgogne.


Tipos de degustação

- Vertical - um mesmo vinho, obviamente de um único produtor, mas com safras diferentes. Muito interessante para compreender a evolução do vinho com os anos e a influência da safra na qualidade final.

- Horizontal – vinhos diversos, de uma mesma safra, mesmo estilo ou nível, mas de produtores diferentes. Para este formato abre-se uma grande variedade de possibilidades didáticas.


Exemplos de degustação
  • Uma única região de origem, mesmo estilo ou nível: serve para fixar as características do estilo sob a influência da região. Por exemplo, degustar vinhos espanhóis da região de Rioja, e da classificação de amadurecimento Gran Reserva, de vários produtores.
  • Mesma uva, mesma região, mesmo estilo ou nível: mostra a expressão da variedade de uva sob a influência da sua região de origem. Por exemplo, degustar vinhos da uva malbec, da região argentina de Mendoza, de linha reserva.
  • Mesma uva, regiões diferentes, estilo ou níveis compatíveis: tem a função de demonstrar as diferenças de expressão de uma mesma uva sob a influência de regiões diferentes. Por exemplo, degustar vinhos da uva syrah, de nível premium e origens diferentes (regiões ou países).



Fonte: http://www.sommelierwine.com.br/ (Por Sommelier Wine Lucas Cordeiro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário