sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Temperaturas do Vinho


Um dos fatores mais importantes na apreciação de um vinho é a temperatura. Só assim, o olfato e o paladar poderão identificar corretamente as suas características.

O corpo, as castas, o teor alcoólico e a concentração de um vinho são muito mais do que simples arte, são também compostos químicos que, com a temperatura, têm reacções díspares, tanto na conservação, como no paladar. É aqui que a temperatura de consumo ganha a sua importância. Ela resulta na forma como a evaporação é feita, como são libertos os vários aromas, como o nosso palato reage ao néctar e, por conseguinte, como apreciamos um vinho.

Experimente colocar uma garrafa de vinho tinto, que esteve à temperatura ambiente num dia de Verão, duas horas na porta do frigorífico. Com a ajuda de um termômetro, verifique se o vinho está a 16 graus e prove-o. Passados mais uns minutos, já fora do frigorífico, prove o mesmo vinho a 18 graus. Passado mais algum tempo, prove-o a 20 graus. Já viu como o vinho evoluiu, como está diferente nas várias temperaturas? 

Por isso, não obedeça ao chavão - como ainda fazem muitos enófilos - de consumir vinho à temperatura ambiente (especialmente se for Verão), de colocar a garrafa a aquecer na lareira ou perto de qualquer outra fonte de calor. Isso só vai fazer com que o vinho perca as suas qualidades.

Os aromas e o bouquet de um vinho permanecem exaltados a 18ºc, diminuem a 12ºc e quase se neutralizam abaixo dos 8ºc. Em termos de sabor, temperaturas muito baixas (inferiores a 6ºc ou 8ºc) adormecem o paladar. 

O frio aumenta a percepção da sensação amarga, da acidez, dos aromas perfumados e da vivacidade do sabor; as temperaturas mais elevadas acentuam a intensidade dos aromas, o impacto do doce e do álcool, e reduzem a delicadeza e elegância dos aromas.

Cada vinho, como composto químico que é, tem reacções diferentes, logo, temperaturas de consumo díspares. No entanto, é possível elaborar uma tabela que pode, na maioria dos casos, ser muito próxima da verdadeira temperatura de consumo ideal. Consulte e faça a experiência.

Até 18ºc - Tintos macios e envelhecidos. A 18ºc - grandes tintos como Bordeaux e tintos ricos em tanino, vinhos espirituosos.

17ºc: Tintos macios e envelhecidos.

De 14ºc a 16ºc graus: tintos macios e envelhecidos, de pouco ou médio corpo. Porto Ruby e Reserva; Porto LBV e Vintage.

14ºc a 16ºc: Tintos de pouco ou médio corpo.

14ºc a 16ºc: Tintos novos, de pouco ou médio corpo (vinho verde incluído)-12ºc a 14ºc: grandes brancos.

De 12º c a 14ºc: Vinhos tintos novos ou leves (Verde tinto incluído), brancos encorpados.

De 10ºc a 12ºc graus: Brancos com corpo, vinhos rosados, vinhos tintos novos (verde tinto incluído), vinhos generosos (Madeira e Porto incluído). De 12 a 14 graus: brancos encorpados e tintos leves. Moscatel, Madeira e Porto Tawny.

De 10ºc a 12ºc graus: Brancos com corpo, vinhos rosados, vinhos tintos novos (verde tinto incluído), vinhos generosos (Madeira e Porto incluído).

De 8ºc a 10ºc: Brancos suaves, alguns brancos secos, espumantes rose, vinhos generosos. De 10ºc a 12ºc graus: brancos com corpo, vinhos rosados, vinhos tintos novos (verde tinto incluído), vinhos generosos (Madeira e Porto incluído).

De 8ºc a 10ºc: Brancos suaves, alguns brancos secos e espumantes rosé.

De 6ºc a 8ºc: Espumantes e vinhos brancos novos. De 8ºc a 10ºc - Brancos suaves, alguns brancos secos e espumantes rosé.

De 6ºc a 8ºc: Espumantes e vinhos brancos novos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário