terça-feira, 28 de janeiro de 2014

7 Traços dos vinhos mais caros do mundo


As maioria dos vinhos caros não são fermentados em sangue de cobra ou vinho feitos com ouro. Em vez disso, o foco está em regiões clássicas como o Borgonha, Bordeaux, Champagne e do Vale do Mosel, na Alemanha. Colecionadores tipicamente investem em regiões que têm algum tipo de sistema de classificação, como Premier Cru Classé em Bordeaux.

  1. Eles são de algumas regiões vinícolas, como Napa, Borgonha e Bordeaux
  2. A maioria são envelhecidos em barricas novas de carvalho francês
  3. Eles não são feitos para serem consumidos mais cedo e durar mais de 30 anos
  4. Eles são negociados como ações em vários mercados de ações de vinho
  5. Existem muitas falsificações em circulação
  6. Há 6 tipos de vinho que são os mais colecionável
  7. O custo não é necessariamente proporcional à qualidade

Fonte: http://winefolly.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário