terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Tipos de vedantes

Pode parecer só um detalhe, mas a rolha é uma das primeiras coisas que pensamos quando imaginamos abrir um bom vinho. Porém, hoje existem várias formas de vedação, cada uma com suas características e curiosidades. Aproveite o tempo livre para saber um pouco mais sobre esse detalhe do mundo do vinho.

Os vedantes são escolhidos pelas vinícolas de acordo com o tipo de vinho, assim como o screw cap, as rolhas sintéticas são usadas em vinhos prontos para beber, enquanto as rolhas de cortiça são escolhidas para os vinhos de guarda.

A rolha de cortiça é a mais indicada para vinhos que terminam o processo de amadurecimento em garrafa, já que permitem a entrada gradual de ar ao longo dos anos, que ajuda no envelhecimento do vinho e proporciona o aroma e o sabor esperados. 

Rolha de cortiça
É sem dúvida o vedante mais valorizado, por sua elasticidade e acomodação perfeita à garrafa, além de manter o charme da abertura tradicional. Sua única desvantagem é a possibilidade de transmitir ao vinho o famoso “gosto a rolha” ou “bouchonnée”. Uma grande vantagem é a de ser um produto natural e renovável.




Rolha sintética
Produzida a partir de polímeros sintéticos, são indicadas para vinhos de consumo rápido, entre 2 a 5 anos do engarrafamento. Para os vinhos de longa guarda seus efeitos ainda estão em estudo. A desvantagem principal é a dificuldade que pode apresentar na abertura da garrafa.





Screw cap
Esta forma de vedação tem a praticidade como um dos seus maiores atrativos e é, comprovadamente, eficaz em evitar a entrada de oxigênio na garrafa. Assim como as sintéticas, é recomendada para vinhos de consumo rápido ou média guarda. A desvantagem mais comentada é a perda do charme no ritual de abertura da garrafa.





Vinolok
Elaborado com vidro, este acessório possui um anel com vedação sintética. Por isso, é muito eficaz para manter a bebida a salvo do oxigênio. Suas vantagens são a beleza e praticidade na hora de abrir o vinho. Embora também fuja ao ritual tradicional do saca-rolhas, o Vinolok é prático, pois é retirado com apenas a pressão de um dedo.





Vale lembrar que novas técnicas desenvolvidas pelas indústrias de cortiça possibilitam eliminar as contaminações que causam o aroma “bouchonnée”, o que deu novo impulso ao uso da mesma.

Por outro lado, na Nova Zelândia, Austrâlia e EUA, vinhos vedados com a “screwcap” desde 2005 e 2006 têm se mostrado em perfeito estado e  estudos revelam que a tampa de rosca favorece um envelhecimento mais lento do vinho na garrafa.


Fonte: http://www.sommelierwine.com.br (Por Sommelier Wine Lucas Cordeiro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário