sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Bom é comer vegetais e beber vinho


Embora a carta de vinhos ainda passe bastante despercebida nos restaurantes vegetarianos, ela existe. E a questão dos pratos vegetarianos serem demasiado leves para serem acompanhados com vinho – principalmente tinto – é um mito. É verdade que os pratos leves combinam melhor com vinhos brancos e rosés. Mas tambem é verdade que muitas receitas com queijo, e também as de massa, suportam bem um tinto. Na opinião do chefe de cozinha Luís Baena, a combinação de diversos tipos de vinhos com vegetais deve ser feita «o mais possível, e até para serem utilizados enquanto se está a cozinhar». O profissional de cozinha explica que «os legumes têm elementos semelhantes à carne e ao peixe, pelo que acompanhados com alguns molhos podem dar lugar a combinações possíveis e desejáveis».


O segredo das combinações
Todas as combinações são possíveis desde que a refeição seja harmoniosa. E para isso, os adeptos do regime alimentar vegetariano, como os de qualquer outro, não podem esquecer que prato e vinho não devem ofuscar as características um do outro. O enólogo Paulo Laureano atesta que «não há qualquer incompatibilidade nesta combinação». O que se passa muitas vezes é que «os tintos provocam um embate mais forte devido aos taninos e, normalmente, quando a pessoa compra o vinho não pensa no prato que o mesmo vai acompanhar».

O enólogo dá o exemplo dos vinhos da casta Alicante Boushet que «matam qualquer vegetal». Mas, de resto «brancos, rosés e espumantes são bastante recomendados. E mesmo tintos com taninos mais redondos combinam muito bem com vegetais», remata. É importante, por exemplo, escolher um vinho com uma estrutura que suporte bem a refeição que se vai preparar. No caso das refeições vegetarianas, menos estruturadas, Paulo Laureano recomenda vinhos elaborados com castas «menos taninosas, como a Castelão, Jaen, Tinta Caiada, Alfrocheiro ou Aragonês».


Na hora… a escolha é tinto
Ainda hoje, não é muito usual encontrar cartas de vinhos em restaurantes vegetarianos, sendo que muitas delas estão incluídas no menu. Na óptica de Luís Baena, talvez se deva à falta de informação. «Há uma associação do vinho a hábitos pouco saudáveis, razão pela qual muito provavelmente as cartas de vinhos ainda passam despercebidas em muitos restaurantes da especialidade. Mas um copo de vinho à refeição não faz mal nenhum» .

O vinho é bom companheiro para todo o tipo de comida. E nem a vegetariana é exceção. Numa das suas cartas aos Romanos, o apóstolo São Paulo dizia que «bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece ou se escandalize ou se enfraqueça». Nos dias que correm, muitos vegetarianos certamente discordam com o profeta no que toca ao vinho. É caso para dizer que «bom é comer vegetais, beber vinho e não fazer outras coisas em que teu irmão tropece ou se escandalize ou se enfraqueça». Desde que o vinho não seja consumido em exagero e harmoniosamente combinado.


Fonte: http://www.mariajoaodealmeida.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário