quarta-feira, 1 de maio de 2013

Harmonizando vinhos e doces


A regra básica e importantíssima, é que o vinho deve ser tão ou mais doce (de preferência) do que a sobremesa. E isto não é nada fácil quando falamos de chocolate e outras tentações. Do contrário, o vinho pode ficar com gosto azedo e aguado

Além da quantidade de açúcar presente nos doces, a consistência e untuosidade fecham as papilas, atrapalhando na degustação do vinho. 

Os vinhos mais doces e densos são os moscatéis licorosos da Austrália e os europeus fortificados como Málaga. A seguir vêm os Muscat e outros moscatéis do sul da França como os Riversaltes. Com estes, dá pra arriscar chocolates, pudins e sorvetes. Os vinhos botritisados (atacados pela podridão nobre) ou Late Harvest (colheita tardia) do novo mundo, feitos com as uvas Semillon, Riesling e Chenin Blanc, geralmente são mais doces que os similares europeus: Sauternes e Barsac. Com esses podemos tentar sobremesas cremosas e/ou cobertas de creme, como o Crème Brûllée. Os vinhos doces do Loire ou os alemães costumam ter acidez mais marcante, combinando muito bem com sobremesas a base de frutas. 

Alguns casamentos são famosos (por oposição doce x salgado) como os vinhos Sauternes com Foie Gras ou queijo Roquefort. Impressionantemente delicioso! O vinho francês Banyuls é tido como o único vinho que harmoniza com chocolate.


Nenhum comentário:

Postar um comentário