terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Componente do vinho tinto pode ajudar a reduzir quedas entre idosos


Pesquisa indicou que resveratrol, também encontrado em chás, cebola e tomate, melhora o equilíbrio e o desempenho motor entre pessoas mais velhas

O resveratrol, composto presente no vinho tinto — mas que também pode ser encontrado no mate, em chás, na cebola e na maçã —, pode ajudar a melhorar a mobilidade, o equilíbrio e evitar quedas entre idosos, concluiu um novo estudo da Universidade de Duquesne, nos Estados Unidos. Segundo os pesquisadores, não está claro de que maneira a substância age no organismo, mas eles acreditam que o componente evita a morte de neurônios no cérebro, melhorando o desempenho motor das pessoas mais velhas.

“Nossa pesquisa sugere que um composto natural, que pode ser obtido por meio da alimentação ou de suplementos dietéticos, pode realmente aumentar a qualidade de vida dos idosos e reduzir o risco de hospitalização e até de mortes decorrentes de quedas”, afirma a coordenadora do estudo, Jane Cavanaugh, que apresentou os resultados nesta segunda-feira no encontro anual da Sociedade Americana de Química, na Filadélfia.

Esse não é o primeiro estudo que indica algum efeito positivo do resveratrol no organismo. Outras pesquisas mostraram que a substância, por ser um agente antioxidante, que evita o envelhecimento das células, pode contribuir com a saúde cardiovascular e até reduzir o risco de câncer.

Esse trabalho se baseou em testes feitos com camundongos. Durante oito semanas, tanto os animais mais velhos quanto os mais jovens receberam suplementos de resveratrol. Eles foram testados periodicamente quanto à capacidade de atravessarem uma passarela de aço sem darem passos em falso. No indício da pesquisa, os camundongos mais velhos apresentaram uma dificuldade significativamente maior do que os mais jovens em atravessar a viga e passar por obstáculos. Porém, ao final das oito semanas, esses animais passaram a cometer menos erros, chegando a apresentar um desempenho quase igual ao dos mais novos. O trabalho, no entanto, não chegou a uma conclusão sobre a quantidade ideal de resveratrol que deve ser ingerida ao dia, já que os testes foram feitos com animais.


Fonte: http://veja.abril.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário