domingo, 2 de setembro de 2012

Vinho é Saúde contra Carie e Doenças dos Dentes e Gengivas



A placa dentária é um filme aderente de bactérias que se forma nos dentes. Ela é o processo inicial da cárie que é quando ocorre a destruição da estrutura do dente. Os três principais agentes dessas lesões são: o Streptococcos mutans, o Actinomyces viscosus e o Lactobacillus. Na China, o Dr. Yue Xiao e colegas, demonstraram que os polifenóis do vinho são capazes de inibilos. Por isso, as pessoas que costumam bochechar vinho, têm menos cáries dentárias.

A Dioxina causa, entre outros danos, doença periodontal por estimular a produção de Porphyromonas gingivalis. Por ser encontrada principalmente no cigarro e ar poluído ela acomete mais os fumantes e pessoas que costumam respirar pela boca. O Dr. Singh e colegas da Universidade de Toronto, no Canadá, mostraram que o Resveratrol – um polifenol presente em quantidades apreciáveis nos vinhos – inibe este efeito maléfico da Dioxina e sugere o seu uso como agente protetor e terapêutico para esses casos.

Os pigmentos dos vinhos tintos tingem os dentes e comprometem a estética. Existe uma relação direta entre a intensidade de cor do vinho, o tempo de contato e as manchas nos dentes. A boa notícia é que respondem bem às terapias de clareamento.

A erosão dentária é a perda de substância da superfície do dente por processo químico, sem o envolvimento de bactérias. Ela costuma deixar o dente mais sensível. O esmalte do dente dissolve-se em um ph entre 5,0 e 5,7. Os vinhos geralmente têm um ph entre 3,0 e 3,8. Os brancos habitualmente são mais ácidos e, portanto mais corrosivos. Os principais ácidos encontrados no vinho costumam ser o tartárico, o málico e o lático, justo os mais corrosivos. Em menor quantidade encontramos o ácido cítrico, o succínico e o acético, que são menos corrosivos. O dano ao esmalte do dente guarda uma relação direta com o tempo de exposição. É importante quando esse tempo é superior a 2 minutos. E nem os enólogos ficam tanto tempo com o vinho parado na boca, também recomendo, que após as palilas degustativs terem apreciado o vinho, beba água e também deixea um pouco na boca antes de beber, para que limpe os dentes e prepare sua boca para apreciar o próximo gole, sem contar que ira matar a sede do seu corpo, evitando assim que seu sangue beba a água do vinho com álcool, que evitara dor de cabeça e você ficar embriagado. A saliva é uma das defesas do organismo contra a erosão dos dentes. A presença demorada de vinho na boca, além de aumentar o tempo de contato com os dentes, inibe a produção de saliva o que favorece ainda mais a erosão. Resinas protetoras e vernizes com flúor protegem da corrosão.
Pode se ver algumas recomendações para se preservar a saúde oral quando se bebe vinho de maneira regular.

Enólogos e enófilos costumam ter dentes mais fracos e sensíveis (pela erosão do esmalte), caso não escovem bem após as degustações, porém poucas cáries e doenças periodontais. Esse é mais um dos tantos paradoxos do vinho.

As dentistas recomendam ao terminar qualquer refeição com vinhos ou não, você tem 5 minutos para escovar seus dentes, por isso ande sempre com a escova portátil e mini pasta de dente em seu bolso, quando tiver fora de casa para ir ao banheiro do restaurante e escovar seus dentes bem escovados principalmente os trazeiros e não se esqueça da língua e as bochechas e não uma rapidinha, antes de sair, pois a comida começa a fermentar e criar carie e mau hálito após 5 minutos, por isso nunca espere horas para chegar em casa e escovar os dentes ou você ira pagar o preço com caries, canais, tártaros e a perda dos seus dentes em especial os molares. Boca saudável e com antibactericida vinho são depende de você, principalmente chegar a 1 século como os patrícios Portugueses com dentes perfeitos.


Vinho ajuda a manter a saúde bucal

Pesquisa Canadense comprova ação benéfica dos polifenóis.

Uma equipe de cientistas canadenses descobriu que o vinho tinto é benéfico para a saúde bucal, reduzindo as doenças de gengiva.

Os especialistas da Universidade Laval de Quebec, Canadá, determinaram que uma ou duas taças de vinho tinto por dia ajudam a manter a gengiva saudável. Segundo os pesquisadores, componentes do vinho tinto chamados polifenóis reduzem o nível de colesterol e evitam que a gengiva sofra algum distúrbio. Na pesquisa, os especialistas descobriram que os polifenóis ajudam a reduzir as inflamações gengivais, que afetam 65% dos adultos com mais de 50 anos.


Fonte: http://vinhosaude.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário