domingo, 27 de maio de 2012

10 acessórios que você precisa ter em casa para poder bem servir um vinho



Taças

Cada tipo de vinho, e até cada região, pede um tipo de taça diferente. Nas degustações o mais indicado é usar a taça ISO (International Standards Organization), que é uma espécie de taça curinga, pequena e cristalina. Para os mais inteirados no assunto, é preferível usar os modelos mais específicos, como as de Bordeaux ou Borgonha, as para vinhos brancos, para os rosados, para doces e fortificados ou para espumantes, que salientam as características mais marcantes de cada uma das bebidas e tornam a degustação mais proveitosa.

Para ter em casa, o ideal é um jogo de taças de espumante (ditas flauta, ou flüte) e um jogo de uma taça de haste longa e bojo de base larga e final alongado (conhecidas como Bordeaux), pois ela vai servir bem os diversos estilos de vinho (menos os espumantes, obviamente). Mas, se possível, tenha um jogo de copos para cada tipo de vinho.



Saca-rolhas

Há os mais simples, que exigem força maior na hora de usar, e os de duas fases, que contém dois pontos de apoio, em níveis diferentes e, por isso, facilitam o manuseio e manipulação da rolha. Há também os saca-rolhas elétricos, que eliminam qualquer esforço na hora de abrir o vinho, e os estilo pinça, que são inseridos pelas laterais da rolha e impedem que ela se quebre.

Se você está começando, prefira o saca-rolhas de duas fases, também conhecido como abridor de Sommelier (como o da foto acima). É o mais simples de usar.




Decanter

Trata-se de uma jarra bojuda, na qual é depositado o vinho da garrafa. Decantar ajuda a arejar os vinhos, volatilizando aromas mais fechados de bebidas muito jovens, por exemplo, e, nos casos de rótulos de safras mais antigas, serve para ajudar a separar os sedimentos do vinho.





Adega climatizada

É o jeito mais seguro de preservar o vinho, uma vez que o deixa protegido de variações de temperatura. São indicadas para aqueles que já tem uma certa regularidade de consumo. Há modelos com as mais variadas capacidades.

Se sua geladeira ou sua despensa já estiverem ficando lotadas com vinhos, está na hora de tomar uma atitude e adquirir uma adega para guardar suas preciosidades na temperatura correta. Você não vai querer a surpresa de abrir um garrafa especial que se estragou devido à má conservação. Evite as adegas pequenas demais, mesmo que seu consumo não seja muito alto. A partir de 20 garrafas já é um número bom. Uma dica: evite adegas com sistema de troca de calor ou com compressores de muita vibração.





Vacuvin

É a melhor maneira de conservar os vinhos depois de abertos caso você não vá consumir a garrafa todo em um único dia. Ele retira todo o ar da garrafa e armazena o vinho que restou com o mínimo de prejuízo, quase sem perda de propriedades, durante alguns dias.

Se você gosta de apreciar um bom vinho durante mais de um dia, este é um acessório que vale a pena.





Tampa para espumante

Usada para conservar os espumantes após abertos, mantendo a pressão e todas as características da bebida.






Corta-gotas e salva-gotas

O corta-gostas é feito exatamente para evitar que o vinho respingue ou escorra depois de servido, mas também é usado para servir a bebida com mais delicadeza. E o salva-gotas serve para evitar que possíveis respingos desçam pelo exterior da garrafa, danificando o rótulo ou manchando a toalha da mesa.
Cooler, mantas térmicas e baldes de gelo

O cooler é usado para resfriar a bebida mais rapidamente e de maneira mais eficiente. Há os digitais, que permitem a obtenção da temperatura exata. A manta térmica (foto acima) envolve a garrafa de vinho, gelando-a mais rapidamente, além de manter a temperatura ideal das bebidas por mais tempo. Mas, se quiser ser mais simples, basta um balde de gelo.




 Termômetro

Cada tipo de vinho deve ser servido em uma temperatura determinada e servir uma garrafa na temperatura certa é extremamente importante.. Então, sempre tenha um termômetro à mão para lhe ajudar nessa tarefa.





Malas de transporte

Existem malas e maletas específicas para o transporte de garrafas de vinho, uma vez que as acomodam melhor por serem acolchoadas, evitando que as garrafas quebrem. Há opções em diversos tamanhos. Desde os menores, de uma ou duas garrafas, para você levar a um restaurante ou uma festa, até as de 12 ou 18 que podem ser usadas em viagens caso você queira trazer preciosidades na bagagem e não esteja disposto a correr o risco de quebrá-las.


Fonte: Revista Adega

Nenhum comentário:

Postar um comentário