domingo, 2 de outubro de 2011

Assemblage



O que é o “assemblage”?

Uma palavra francesa que não possui tradução para o português. Na verdade fala de um processo, que consiste em associar vinhos de diversas variedades de uvas, em algumas vezes variando também diversas safras, mas, mantendo sempre a mesma região vinícola. O objetivo é assegurar uma excelente qualidade e, é claro, constantes novidades já que permite ao enólogo invovar.


Como é elaborado um vinho de “assemblage”?

É necessário dispor de vários vinhos procedentes de diferentes micro-regiões da mesma região vinícola. Quando os vinhos utilizados são de diferentes regiões, falamos então na palavra corte (“coupage”). Esta é a única diferença entre assemblage e corte.Começa pela localização dos vinhedos em micro-regiões adequadas, pela escolha das uvas em seu estágio ótimo de maturação e pelas vinificações para extrair da natureza o que ela tem de melhor.

Concluídas as fermentações, é feita uma rigorosa avaliação entre os vinhos de diversas variedades recém elaborados e os vinhos com origem em colheitas mais antigas, cuidadosamente guardados, quando a vinícola também for utilizar vinhos de outras safras, o que não é tão comum.

Após profundos exames nos diferentes vinhos, os lotes que estão no seu auge entrarão no “assemblage”, os que precisam de mais tempo para amadurecer continuarão guardados, e, aqueles que não atingem os critérios mínimos de seleção, serão utilizados para outras linhas da vinícola, dificilmente sendo desprezados.

O término do processo é a combinação da seleção de vinhos de diversas variedades, todos em seu esplendor, reunindo as características superiores de cada um.


Quem realiza o “assemblage”?

O enólogo, sozinho ou com sua equipe, além de cuidar de todas as fases da elaboração, realiza o “assemblage”. Através de um trabalho intenso e minucioso de degustação, com uma dose de ciência e outra de arte, ele seleciona os lotes, classifica-os e administra qualitativamente o estoque de vinhos.

O vinho resultante normalmente chega a uma qualidade final, superior a dos melhores vinhos que entram no “assemblage”. O enólogo reúne diferentes variedades buscando sinergias entre os elementos que compõem essa associação, procurando sempre a perfeita harmonia entre os diversos elementos, como em uma orquestra.


“Assemblage” ou Varietal?

É difícil responder se os vinhos feitos de uma só variedade de uva são melhores dos que os vinhos que resultam de um lote de várias castas. Talvez não exista uma casta que seja perfeita em todos os seus aspectos, e é por isso que normalmente por tradição dos países do Velho Mundo, os vinhos sempre se fizeram combinando vários tipos de uvas.

Foram os países do Novo Mundo, que introduziram o conceito de vinho varietal, feito a partir de uma só casta, com o intuito de entrar mais facilmente no mercado europeu.

Os vinhos varietais têm uma vantagem, que é a graça de permitir ao consumidor apreciar as verdadeiras virtudes e fraquezas de cada casta, permitindo, como falamos no início deste texto, que possamos conhecer a fundo cada uma das variedades de uvas que pode ser utilizada em um assemblage.



Fonte: Enoleigos

Nenhum comentário:

Postar um comentário