sábado, 17 de setembro de 2011

Taças



Escolher qual taça comprar para apreciar um tinto, branco, rose ou espumante pode até parecer difícil ante a variedade disponível, mas a verdade é que não é. Basta levar em consideração os sentidos.

Olfato: O recipiente mais adequado irá exalar melhor os aromas.
Visão: A transparência do vidro ou cristal permite apreciar a cor, uma importante fonte de informação da bebida.
Paladar: Dependendo da forma da taça. O vinho é direcionado nas partes da língua que reconhecem as sensações de doçura, acidez, amargor e salgado.
Com essas informações em mente, já é possível descartar taças amorfas ou coloridas. Há quem defenda o uso de uma taça específica para cada tipo de uva, porém, com três tipos já é possível degustar a maioria dos vinhos.
Com base nas características dos tintos mais consumidos, recomenda-se a taça tipo Bordeaux. Ela tem bojo largo e borda estreita, o que ajuda a concentrar os aromas.
Para os brancos e rosés, a taça deve ser menor para conservar a temperatura mais baixa, além de possuir bojo largo, borda estreita para conservar os aromas.
No caso dos espumantes, a taça ideal é a flûte: comprida, para o alto fim de apreciar melhor o perlage ( as “bolhas”), embora alguns sommeliers prefiram taças menos compridas e mais bojudas, para melhor liberação dos aromas.
Outra sugestão é preferir a taça de cristal à de vidro. Ambas são ótimas, mas o cristal possui microporos capazes de quebrar as moléculas da bebida, permitindo o desenvolvimento de mais substancias aromáticas.
Fonte: Expandblog

Nenhum comentário:

Postar um comentário