sábado, 24 de setembro de 2011

Os principais defeitos do vinho




Graças à tecnologia moderna, os defeitos se tornam cada vez mais raros. A maioria é facilmente detectada, pelo olho ou pelo nariz.

Vinhos oxidados e madeirizados Chamados assim porque o contato excessivo com o oxigênio estragou suas qualidades gustativas.
Os vinhos brancos parecem opacos, com uma cor mais escura que o normal para sua idade e seu tipo: de cor de palha sem brilho a âmbar. Odor insípido e alterado; gosto acidulado. Diz-se também “madeirizado”.
Os vinhos tintos têm também uma cor sem brilho, puxando para o marrom de acordo com sua idade e seu tipo. Nariz insípido, alterado, com um odor e um sabor agridoce desagradável que lembra caramelo.
Vinhos acres: Possuem um odor de vinagre devido ao excesso de ácido acético, o do vinagre. Gosto magro e doce.
Vinhos enxofrados, nos quais foi usado enxofre para a vinificação, e que guardam o gosto desse produto.
O dióxido de enxofre dá um odor acre, picante, sufocante, parecido com o de um fósforo que se risca, uma sensação de secura e de formigamento.
O hidrogênio sulfurado introduz um odor de ovo podre, de borracha, de alho, de vegetais em decomposição, com os gostos correspondentes. Diz-se também que o vinho está “reduzido”.
Vinhos bouchonnés: Um odor de bolor, de pano molhado, domina o buquê e os sabores do vinho na boca, tornando-o intragável.

Fonte: Larousse do Vinho 

Nenhum comentário:

Postar um comentário