sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Dicionário do vinho – A


A
ABOCADO - (do italiano “abbocato”) – doce.
ABERTO – de aroma muito intenso.
ABRIR – diz-se que o vinho “está abrindo” (ou “abriu”) quando está havendo (ou houve) crescimento de suas características (em especial do aroma), com um certo tempo depois da abertura da garrafa.
ACERBO – ácido, verde.
ACIDEZ – Sensação de frescor agradável, provocada pelos ácidos do vinho (cítrico, tartárico, málico, lático, succínico) e que resulta em salivação.
ACIDEZ VOLÁTIL – Acidez desagradável provocada pelos maus ácidos do vinho (acético, propiônico e butírico).
ACÍDULO – com acidez excessiva.
ADAMADO – vinho suave e doce.
ADOCICADO – vinho doce e com baixa acidez.
ADSTRIGENTE – com muito tanino, que produz a sensação de aspereza (semelhante à sentida ao comer-se uma banana verde); o mesmo que tânico ou duro.
AFINADO – bem envelhecido, maduro, equilibrado.
AGULHA – Sensação de picada na língua produzida pelos vinhos espumantes.
ALCOÓLICO – com muito álcool, desequilibrado.
AMARGO – com amargor.
AMÁVEL – suave ou ligeiramente doce.
AMBIENTAR – (em francês CHAMBRER) deixar o vinho à temperatura ambiente, do recinto onde é servido.
APAGADO – de aroma inexpressivo.
AQUOSO – fraco, muito leve.
AROMA – odor emanado pelo vinho. O primário é proveniente da uva. O secundário é resultante da vinificação. O terciário origina-se do envelhecimento e é denominado bouquet.
AROMA DE BOCA – ver retrogosto.
ÁSPERO – com excessivas adstringência e acidez.
ASSEMBLAGE – mistura de vinhos diferentes; o mesmo que corte.
AUSTERO – vinho “sério”, complexo.
AVELUDADO – macio, untuoso, viscoso com textura de veludo.
AVINAGRADO – com odor e sabor de vinagre, deteriorado, inutilizado para o consumo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário